Simplificar e saborear a vida

“O milagre não é andar sobre as águas. O milagre é caminhar sobre a terra verde, habitando profundamente no momento presente e sentindo-se verdadeiramente vivo.“ – Thich Nhat Hanh

Por Leo Babauta do site zenhabits.net

Nestes dias nós temos uma abundância de luxos, mas tenho descoberto que os excessos realmente diminuem minha alegria de viver.

Claro, podemos obter enormes quantidades de alimentos de qualidade, banqueteando os nossos corações, enchendo-nos de alarmante exibições de gula … mas é que realmente agradável de forma regular?

E sim, a televisão pode ser divertida, assim como grande parte da Internet, mas se está sempre ligada, se estamos sempre conectados, a diversão não se torna menor?

Excessos levam a todos os tipos de problemas, mas o maior problema é que a vida se torna menos agradável.

Tenho descoberto que simplificar as coisas me permite saborear a vida mais plenamente.

Saborear a vida começa com uma mentalidade. Uma crença de que o excesso, a pressa, a agitação, a distração, não são ideais. É uma mentalidade que busca:

  • simplificar
  • fazer e consumir menos
  • desacelerar
  • estar atento e presente
  • saborear as coisas totalmente

São as pequenas coisas que tornam a vida agradável: uma caminhada com um ente querido, um delicioso livro, uma ameixa geladinha, uma árvore recém florida.

Através da simplificação, podemos saborear a vida ao máximo.

Algumas ideias que tenho considerado ultimamente:

1. Café: Em vez de encomendar um latte, mocha, cappuccino com creme chantilly e canela e raspas de … simplifique. Peça um puro e bom café coado (ou espresso), feito na hora, com cuidado e precisão, com grãos de qualidade e recém torrados. Faça você mesmo, se puder. Beba-o lentamente, e aprecie completamente.

2. Chá: Recentemente tomei chá com Jesse Jacobs, o proprietário do Samovar Tea Lounge, e ele serviu dois tipos diferentes, feitos a partir de minúsculos vasos de chá: Nishi Sencha 1st Flush e chá Bai Hao Oolong. Estavam frescos, chá feitos à mão a partir de folhas reais, não um saco de chá, e foi simplesmente delicioso. Bebi lentamente, com os olhos fechados, apreciando plenamente o aroma … maravilhoso.

3. Exercícios: Estou fã de exercícios simples nos últimos tempos. Enquanto outros podem passar de uma hora a 90 minutos na academia, fazendo uma série de 10 exercícios diferentes, eu só faço 1-3 exercícios funcionais, mas com intensidade. Então posso fazer alguns intervalos de sprint (nota: tipo de corrida de tiro rápido), ou algumas rodadas de flexões, pullups (nota: flexão de braços na barra), e agachamentos corporais. Ou 400 metros de walking lunges (nota: passadas com alteres). Deixe-me dizer, isso é um exercício simples, mas incrível. Outro que eu gosto: cinco rodadas 85-lb (nota: é o peso do halteres) com agachamento (10 repetições) alternadas com flexões (10 repetições). Treino de hoje foi de três rodadas de 15 burpees (nota: tipo de exercício funcional de alta dificuldade) e corridas de 800 metros. Sem descanso, a menos que precisasse dele. Estes são ótimos treinos, mas muito simples, e muito difíceis. Adoro.

4. Doces: Eu costumava ser um viciado em açúcar. Agora eu ainda desfruto de uma sobremesa ocasional, mas em pequenas porções, comendo muito lentamente. O que eu gosto mais ainda, porém, é uma fruta geladinha. Um pêssego fresquinho, alguns mirtilos, morangos, algumas ameixa: como uma mordida de cada vez, fecho os olhos em cada uma, e desfruto ao máximo. Tão bom.

5. Refeições: Enquanto a tendência hoje são refeições superdimensionadas em gorduras, coisas fritas (que precisam de mais de duas pessoas para comer, na verdade), eu tenho apreciado refeições menores em simplicidade. Apenas alguns ingredientes frescos, inteiros, não transformados, sem produtos químicos ou molhos. Minhas refeições geralmente incluem: um café da manhã de aveia (cozida) com canela, amêndoas e frutas; um almoço de iogurte, nozes e frutas; um jantar de feijão ou tofu com quinoa e legumes cozidos no vapor (ou refogados com alho e azeite). Estas refeições simples são melhores porque, além de saudáveis, cada ingrediente pode ser degustado, e seu sabor totalmente apreciado.

6. Leitura: Embora a Internet esteja repleta de coisas para ler, tenho desfrutado da simplicidade de um livro de papel, emprestado da biblioteca ou um amigo (emprestar / compartilhar reduz o consumo de recursos naturais). Quando leio on-line, leio apenas um artigo por vez, usando o Readability ou Clippable bookmarklet para remover distrações, e em modo de tela cheia no browser Chrome (use Cmd-Shift-F na versão Mac ou F11 no Windows ). É leitura pura, sem distrações, e encantadora.

Artigo publicado originalmente em http://zenhabits.net/savor/ conforme uncopyright disponível no site do autor.

Tradução: Elaine Costa

About The Author

Elaine Maria Costa

Elaine Maria Costa é administradora, coach e permacultora, faz compostagem doméstica desde 2009. Em 2013 mudou-se de uma área urbana para morar numa chácara em Embu das Artes – SP com o objetivo de ter maior qualidade de vida, contato com a natureza e sustentabilidade pessoal.