Mas o que é essa tal de qualidade?

Nas empresas, sempre nos deparamos com julgamentos referentes a serviços e produtos onde os mesmos são avaliados quanto à qualidade. Mas esta questão pode ser mais abrangente e discutível.

Qual é, realmente, a definição de qualidade?

Como podemos aplicá-la na administração de nossas vidas?

Para o termo qualidade temos várias definições. Veja algumas abaixo:

  • “Grau no qual um conjunto de características satisfaz a requisitos”; (ISO 9000:2005 requisito 3.11)
  • “Qualidade é algo abstrato, sem vida própria, indefinido”; (Gestão Qualidade, Edson Pacheco Paladini, pág 20)
  • Qualidade é quando o produto atende as necessidades do cliente;

Diante dos exemplos citados acima e de muitos outros existentes podemos concluir que a palavra qualidade não tem uma definição única, mas sim se enquadra na necessidade de cada pessoa ou processo. Atendendo ou não suas expectativas e anseios.

Para nossa abordagem, focando na administração pessoal, podemos adotar então a seguinte definição:

  • “Qualidade é o conjunto de metas atendidas para um objetivo, alcançando o sucesso”.

 Se empenhar em planejar nossa vida buscando sempre qualidade não é uma tarefa fácil. Objetivos alcançados “por acaso” não podem ser considerados como resultados, mas sim como um momento de sorte, que muitas vezes não se repete.

Para evitar surpresas temos sempre que desenhar um plano de vida que contemple objetivos e metas. Medir, acompanhar nosso plano sempre, realizando correções necessárias, e implementando ações que auxiliam a sua caminhada para que o plano tenha qualidade.

Lembre-se: todos querem estar em meio à qualidade objetivando o sucesso, mas poucos sabem como chegar a ele.

Para compreender melhor esta idéia na administração da nossa vida podemos considerar o planejamento dentro de uma empresa. Por exemplo, uma empresa estabeleceu a meta de reduzir o consumo de energia elétrica em 10%.

Como será feito isso?

Primeiro realiza se um estudo sobre o consumo de energia elétrica onde são descriminados:

  • Consumo de Energia elétrica por máquina ou processo;
  • Horário de maior consumo;
  • Consumo atual;
  • Tabela da concessionária de energia elétrica com valores/ horário.

Após esse estudo é feito um plano abordando todas as informações adquiridas e definido um planejamento onde existem ações para serem implementadas e metas a serem cumpridas, todas com foco na redução do consumo de energia elétrica em 10%.

Este planejamento deve ser monitorado e sempre corrigido quando necessário, até que se alcance o objetivo ou o processo seja capaz de se auto-regular.

Ao final podemos perceber que a empresa certamente alcançará bons resultados se:

  • Sabe o que quer – definiu com certeza e clareza seu objetivo
  • Conhece bem a questão – realizou um estudo sobre o assunto
  • Adotou as ações adequadas – definiu e implementou um planejamento com ações eficazes e metas coerentes, focadas no objetivo

Essa forma de planejamento não se restringe às empresas. Na verdade, esse modelo pode ser usado, com sucesso, em nossas vidas.

Precisamos ter sempre em mente que nossos sonhos só viram realidade quando, primeiro, são colocados no papel. Os objetivos se realizam mais facilmente para aqueles que sabem o que querem, quando querem e onde querem. Por isso, um bom planejamento e monitoramento são tudo.

 

Referências:

Paladini, Edson Pacheco. Gestão da Qualidade. Editora Atlas. 2ª edição.

ISO / TC 176. ISO 9000:2005. 2005 (E)

About The Author

Vander Magalhães Costa

Vander Magalhães Costa é formado em Gestão de Qualidade pela Faculdade Morumbi Sul e atualmente cursa Engenharia de Produção na Universidade Nove de Julho. Tem mais de dez anos de experiência na área de qualidade e adora encontrar soluções para o planejamento pessoal baseadas nas melhores práticas usadas dentro das organizações.