nav-left cat-right
cat-right

Mas o que vem a ser esse tal de Coaching?

 

Coaching é um processo com metodologia definida que tem como objetivos principais atingir metas, solucionar problemas e desenvolver novas habilidades (1). Quando conduzido de forma adequada age como “uma enzima que provoca mudanças voltadas a si própria, uma espécie de fermento do crescimento e da superação pessoal e profissional” (2).

Pode ser entendido como arte e ciência, mas mostra-se um verdadeiro mix de recursos e técnicas na área do comportamento humano (psicologia, sociologia, neurociências) e de ferramentas da administração de empresas, esportes, gestão de recursos humanos, planejamento estratégico e outros. Assim, é verdadeiramente um processo de aprendizagem e de desenvolvimento de competências (comportamentais, psicológicas e emocionais) com o objetivo de conquistar e manter os resultados desejados (4).

Mas o Coaching não é apenas uma técnica a ser prescrita em certas situações. É principalmente uma forma de gerenciar, uma maneira de tratar as pessoas, um jeito de pensar, enfim, um modo de vida (3).

Coaching permite que o potencial das pessoas seja liberado para maximizar sua performance. O coach, ao invés de ensinar, ajuda as pessoas a aprender de forma efetiva. Por isso, pode ser considerado como um processo de aprendizagem não convencional (3).

É um processo que contribui para a transformação de pessoas e grupos pois propõe a reflexão sobre a sua visão de mundo, valores e crenças individuais, bem como o aprofundamento da aprendizagem, a incorporação de novas habilidades e o aumento do estado de prontidão para agir coerente e eficazmente (2).

Para Krausz, estão entre os pressupostos do coaching:
• “As pessoas sabem mais do que acham que sabem.
• “As pessoas possuem recursos nem sempre adequadamente aproveitados para elevar a sua performance.
• “Perguntas adequadas, úteis e estimulantes produzem mais resultados do que ordens e comandos.
• “Toda falha representa uma oportunidade de aprendizagem.
• “Metas desafiantes, porém viáveis, fazem emergir o que de melhor as pessoas possuem.
• “Toda aprendizagem é precedida de alguma forma de experimentação.
• “Querer é o primeiro passo para o poder e o fazer” (2).

Devido sua natureza prática, o Coaching permite obter resultados com menos esforço e num curto espaço de tempo. Coach e coachee, através do estabelecimento de parceria e confiança, são capazes de esclarecer os aspectos que impedem o coachee de atingir suas metas e de definir as ações que este deverá tomar para alcançar o que deseja. O processo de Coaching começa sempre na determinação do estado atual do coachee e onde ele quer chegar, além das ações, posturas, valores e comportamentos deverá investir para atingir o estado desejado. Assim, Coaching é um processo com começo, meio e fim, no qual os resultados desejados devem ser constatados (2).

O coach deve sempre pensar nas pessoas em relação ao seu potencial futuro, e não em relação à sua performance passada. Caso o coach não pense de forma, dificilmente será bem sucedido ao buscar liberar o melhor que existe em seu coachee. A crença positiva do coach é fundamental para o sucesso do processo de coaching (3).

Mas a verdadeira meta do coach é ajudar o coachee a desenvolver consciência e responsabilidade. Segundo Withmore, “construir CONSCIÊNCIA e RESPONSABILIDADE é a essência de um bom processo de coaching” e que a “crença em si mesmo, auto-motivação, escolha, clareza, comprometimento, consciência, responsabilidade e ação são produtos do processo de coaching”.

A crença em si mesmo é construída quando a pessoa toma decisões, escolhe as ações corretas e reconhece sua inteira responsabilidade por erros e acertos. Mas nada é melhor do que o sucesso. Por isso, durante as sessões de coaching é fundamental que o coachee obtenha os resultados desejados. Com o acúmulo de sucessos, não só a crença pessoal do coachee é fortalecida, bem como a crença das outras pessoas sobre ele, o que significa se tornar confiável, ter mais liberdade, receber encorajamento e ter suporte para fazer suas próprias escolhas (3).

Quer alcançar seus objetivos mas não sabe como? Faça Coaching!

Contato através do email elaine@maiscommenos.net ou pelo fone (11) 9 7535 2634.

 

Referências:

(1) MARQUES, J.A. Curso de Formação em Personal and Self Coaching: Módulo I. Goiânia: IBC, 2013, apostila de curso.

(2) KRAUSZ, R. Rosa. Coaching Executivo: a conquista da liderança. São Paulo: Nobel, 2007.

(3) WHITMORE, John. Coaching for Performance: Growing Human Potential and Purpose. Fourth edition. Boston: Nicholas Brealey Publishing, 2009.

(4) CARLI, Edson. MARQUES, J.A. Coaching de Carreira – construindo profissionais de sucesso. Goiânia: Editora Ser Mais, 2012.

 

Imagem cortesia de hyena reality, Freedigitalphotos.net.

Share
Tags: , , , , , , ,

De volta ao Mais Com Menos

 

Olá, querido leitor do Mais Com Menos. Tudo bem? Faz tempo que não apareço por aqui. Muito tempo, mais de um ano. Quero me desculpar com todos aqueles que deixaram comentários e perguntas e que ficaram sem resposta. Afinal, não acesso o blog faz um bom tempo, só tenho mantido as contas… Mas tenho algumas razões para isso. Como falei no artigo Missão pessoal – uma introdução, participei de um Seminário no qual pude rescrever minha missão de vida, e isso me afetou profundamente. Passei a questionar muitas coisas, e isso afetou não só minha vida pessoal, como também o meu trabalho. Em alguns momentos, cheguei até a ficar sem planos. Mas todo esse período deu ótimos frutos e gostaria de compartilha-los com vocês.

Quem lembra do meu cantinho Zen? Para quem não viu, segue abaixo a imagem.

 

Lembra-se do meu cantinho Zen?

Pois é, agora ele deixou de ser um cantinho para se tornar uma chacrinha:

Meu novo cantinho Zen

Moramos agora numa linda chácara em Embu das Artes – SP, cercada de muito verde e animais silvestres. Ainda estamos com obras e nos organizando, mas só posso dizer que é um lugar abençoado. Estamos muito felizes com a mudança. Espero, em breve, compartilhar o local com vocês através dos Workshops sobre Compostagem Doméstica. Vai ser muito agradável passar uma tarde aqui, falando sobre os assuntos que tanto gostamos no meio das árvores, ouvindo os passarinhos cantando.

Outra boa mudança está na minha vida profissional pois, este ano, realmente fui atrás do que queria e consegui a certificação como Professional & Self Coach pelo Instituto Brasileiro de Coaching. Para quem não sabe o que é Coaching, posso dizer que é um processo com técnicas e ferramentas estruturadas que têm como objetivo liberar o nosso potencial, limitado por crenças e medos que nós mesmos criamos. No próximo artigo foi explicar melhor o que é esse processo. Por hora, quero dizer que já estou atendendo como Coach no meu trabalho e os resultados estão sendo maravilhosos. Conto mais para vocês depois.

Com esse novo rumo que escolhi, vocês irão perceber mudanças no site, mudanças essas positivas, pois agora teremos muito mais conteúdo sobre autoconhecimento, propósito de vida, objetivos e metas. É claro que o conteúdo sobre compostagem domésticas e assuntos correlatos será mantido e atualizado. Para aqueles que deixaram perguntas, não se preocupem. Já estou trabalhando para fazer uma grande página só com as perguntas freqüentes, reunindo todas as dúvidas num lugar só. O link para essa página vai fizer bem visível na página principal. Se, ainda assim, houverem dúvidas, as responderei nos comentários ou através de um bate-papo (Estou com essa idéia já a algum tempo. Ainda vou ver como vai funcionar, mas acho que vai ser ótimo reunir todo mundo que tem dúvida para fazer uma reunião on-line).

Então vou ficando por aqui. Ainda teremos muitas novidades por aqui e espero que gostem das mudanças. Até a próxima!

 

Share
Tags: , , , , , , ,

Como realizar suas metas – o método Zen To D...

Atualmente encontramos vários métodos e ferramentas de organização pessoal, mas nem sempre sabemos utilizá-los para realizar nossas metas. Primeiro, porque nem sempre sabemos quais são elas. Segundo, porque mesmo que saibamos definir nossas metas, poucas são as ferramentas que nos ajudam a mante-las em foco. E mesmo estas, em razão de sua complexidade, acabam fazendo muitos de nós desistir de seu uso.

Organização: uma questão pessoal

Fiz vários cursos de organização do tempo, li muito sobre o assunto e já adotei pelo menos quatro formas diferentes de organização. Comecei com as listas de tarefas e gestão do tempo, depois acrescentei o controle de agenda. Deixei tudo isso de lado e adotei o método e planejador da FranklinCovey por algum tempo. Depois deixei tudo de lado novamente e passei a usar o Getting Things Done – GTD, principalmente com materiais impressos e o arquivo. Mas nenhum desses métodos atendeu plenamente minhas necessidades. Se por um lado o planner da FranklinCovey ajuda a manter o foco nas metas, por outro acabou se mostrando um pouco complexo para usar no dia-a-dia (pelo menos, para mim). Já o GTD se mostrou ótimo na gestão de tarefas, organização do material impresso e arquivos. Mas deixou de lado o foco nas metas. Por isso, acabei voltando para as listas de tarefa.

Conheci o livro e método Zen To Done através do Efetividade.net, mas não o adotei de imediato. Demorei para entender o método, na verdade. Só após a vivência que participei em novembro, na busca da minha missão pessoal, tive a percepção de que precisava de um método que desse tanto enfoque nas metas quanto nas tarefas. Senti que tudo isso precisava ser suficientemente simples para favorecer seu uso diário, evitando excessiva perda de tempo com o planejamento. Mas também precisava ser completo para que os pontos principais não fossem esquecidos. Encontrei esses pontos através do ZTD.

O método mescla a abordagem de planejamento dos 7 hábitos e o processamento e realização de tarefas do GTD. Isso tudo com muita flexibilidade. Quem define a ferramenta a ser usada somos nós, conforme a familiaridade de cada um.

O ZTD resume-se aos seguintes hábitos:

1. Capture

2. Processe

3. Planeje

4. Faça

5. Sistema confiável simples

6. Organize

7. Revise

8. Simplifique

9. Defina rotinas

10. Encontrando sua paixão

Embora o método seja composto por 10 hábitos, o autor recomenda a adoção progressiva destes. Ele comenta que a razão das pessoas desistirem de realizar algumas coisas para as quais se determinaram é o desgaste gerado pela adoção de muitas mudanças ao mesmo tempo. E, pensando bem, isso é uma grande verdade, não é mesmo? Quem já tentou fazer regime sabe bem como é isso. Decidir mudar totalmente a forma de se alimentar é traumático e acaba durando pouco tempo. Já a mudança gradativa de hábitos, como substituindo alguns alimentos por outros aos poucos, traz um melhor resultado a longo prazo.

Assim, Leo Babauta nos indica a adoção de um ZTD minimalista, composto apenas dos hábitos capturar, processar, planejar e fazer.

Método ZTD simplificado

A idéia é bem simples:

1. Tenha algumas caixas de entrada para separar as coisas a processar. As caixas de entrada são receptácu-los para depositar todos os itens que precisam ser tratados, tais como email, contas, correspondências, idéias, tarefas, planos, etc. O ideal é que não passem de 7 caixas, sendo uma delas um caderninho (ou outro método que possa estar sempre presente) para anotar tudo o que possa ser do nosso interesse. Isso vai desde lembrar de comprar a ração do gato até uma grande idéia para usar no trabalho. O objetivo é simplesmente anotar na próximo espaço em branco disponível, devendo ser processada assim que houver oportunidade.

2. Tal como o GTD, cada item deve ser processado em ordem, sem deixar para depois, seguinte forma:

  • Remova o que não é necessário.
  • Faça o que levar menos de 2 minutos (ou o tempo que definir).
  • Deleque o que for possível.
  • Transfira para mais tarde. Use listas de tarefas.
  • Arquive.

3. Planeje as atividades. Para isso, o autor recomenda a definição das Grande Rochas semanais, aquelas atividades importantes que vocês quer ver realizadas. Depois, defina de 1-3 tarefas mais importantes para cada dia e as faça logo cedo, garantindo a sua realização. Essas duas atitudes dão propósito para o dia e a semana. Embora também sejam realizadas outras tarefas, garantimos a realização das atividades realmente importantes.

4. Faça. Sem interrupções e distrações, antes de abrir o email ou as correspondências, realize as tarefas mais importantes que definiu no dia anterior. Quando mais cedo, melhor.

Embora esse hábito não faça parte dos quatro mencionados, o autor recomenda que se adote uma lista mestra de tarefas. Sem classificações de qualquer natureza (você pode classificá-las se quiser, mas não é necessário) a idéia é manter um controle sobre o que precisa ser feito. Depois dos quatro hábitos adotados, as listas podem ser aperfeiçoadas. No começo, basta manter as tarefas nessa lista mestra, que pode estar no seu próprio caderninho, em folhas de papel separadas, em algum software que esteja sempre disponível, etc. O importante é que a lista esteja disponível sempre que precisar ser consultada.

Como defino as Grandes Rochas?

Em geral, as grandes rochas são atividades derivadas ou da nossa missão pessoal, ou das metas que estabelecemos no período. Veja aqui um vídeo que demontra bem esse conceito. Cabe ressaltar que, embora também não incluso no ZTD minimalista, o décimo hábito – encontre a sua paixão – é muito recomendado pelo autor. Esse é um dos que ele recomenda que adotemos assim que possível. Você imagina a razão?

Quando encontramos a nossa paixão o método faz muito mais sentido. Afinal, ao fazer primeiro as atividades mais importantes garantimos um bom uso do nosso tempo. Mesmo assim, conseguimos fazer as outras atividades menos importantes pois aprendemos a ser eficazes, dando à tarefa a dedicação para a qual sua importância faz jus. Quanto menos importante, menor a dedicação ou aprendemos a delegar. Simples assim.

Como encontrar minha missão ou definir metas?

Esse é um assunto de grande importância. Levei muito tempo para encontrar a minha. Embora tenha seguido as instruções do livro “Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”, não fiquei muito certa da missão que defini. Foi só após a vivência em busca do meu labor sagrado que consegui encontrar essa missão. Mas esse é um assunto que tratarei nos próximos artigos. Por hora, sugiro avaliar o método de organização que usa atualmente e, quem sabe, aperfeiçoá-lo através do ZTD.

Para que quiser de aprofundar no método ZTD, recomendo a leitura do livro Zen To Done, que pode ser adquirido on line na Amazon (em inglês). O livro também foi traduzido legamente para o português por Lucas Teixeira e pode ser encontrado aqui.

Image: Stuart Miles / FreeDigitalPhotos.net

Share
Tags: , , , , , , , ,

Controle os resultados e revise as metas

Continuando com o tema abordado no artigo Plano de Marketing Pessoal – você já fez o seu?, a sexta etapa do Plano de Marketing Pessoal é consiste em controlar os resultados e revisar as metas, o que significa adotar uma rotina periódica para revisão das metas e objetivos, seja para atualizar o progresso das ações, complementar metas com novos objetivos, e até incluir novas metas. Até aqui, não tem mistério. Mas, quando falamos de lembrar de fazer essas revisões, temos que contar com algum recurso tecnológico que nos sirva de fiel escudeiro.

Assim, para ajudar na realização dessa tarefa, fiz uma pesquisa sobre sites na internet que prestam serviço gratuito que ajudam a controlar projetos, ações, prazos e outros. Esses aplicativos baseados em web 2.0 são de grande ajuda pois podem ser acessados de qualquer lugar, de qualquer computador (até do celular) e até enviam alertas de tarefas por e-mail, evitando que esqueçamos o principal. Assim, relaciono em seguida três dos sites que mais gostei:

Remember the Milk – é uma excelente opção para gerenciar tarefas de forma fácil e rápida, inserindo itens diretamente no site, por e-mail e até via celular. Pode-se incluir a localização física de eventos, compartilhar tarefas entre um grupo de pessoas e até sincronizar eventos com o Google Calendar. Ele também não deixa esquecer tarefas e compromissos, pois usa vários canais de comunicação para enviar lembretes, como o e-mail, SMS e mensagens instantâneas. Sua interface é muito flexível, que permite a cada usuário configurar sua página conforme a necessidade. Outra característica muito útil é poder usar com o Google Gears, que permite a utilização do serviço off-line. Excelente opção para registrar as ações desdobradas dos objetivos ou somente lembretes para revisão do acompanhamento de metas e objetivos.

remember

The Big Picture (super dica do Ricardo Jordão) – é um gerenciador de projetos baseado em web 2.0 super fácil de usar. Com um visual clean, permite inserir metas, objetivos e ações, todas com prazos e descrições, além de ter a opção de receber seus lembretes por e-mail. Segue abaixo um vídeo mostrando o funcionamento do serviço:

Zoho Project – com a opção de fazer logon usando seu usuário do Google ou do Yahoo, a opção gratuita do serviço permite cadastrar um projeto, sem limites de usuários, com até 100 mb de armazenagem. Com ele é possível cadastrar o projeto incluindo tarefas, calendário, reuniões, arquivos, fóruns e uma página wiki, além de acompanhar sua realização através de gráficos e relatórios de desempenho. Para conhecer o serviço, assista ao vídeo abaixo:

Todos os aplicativos são muito bons. Vale a pena fazer uma avaliação e optar por aquele que mais se encaixa às suas necessidades.

E com essa dica que terminamos a série de posts sobre Plano de Marketing Pessoal. Espero que esse material tenha ajudado você a refletir sobre quem você é e aonde quer chegar. Isso é muito importante, pois ajuda a identificar o que é principal em nossas vidas, o que ainda precisa ser mantido e o que pode ser abandonado. De outra forma ficaremos sempre presos ao diálogo clássico entre Alice e o grande gato:

“Gatinho amigo, que caminho devo seguir? – pergunta Alice.

Para onde você quer ir ? – indaga o velho gato.

Para qualquer lugar… – acrescenta Alice.

Ah… então qualquer caminho serve! – ironiza o velho gato.”

Share
Tags: ,
Página 1 de 11