4Rs – Reciclar: o que pode e o que não pode?

Antes, durante ou depois de fazermos nossas compras, uma questão que gera muitas dúvidas é como descartar o lixo gerado com o nosso consumo. Com tantos materiais diferentes, como saber o que separar para reciclagem e o que enviar para o aterro sanitário? Além de saber quais são os tipos de resíduos recicláveis, é importante saber quais deles podem realmente ser reciclados.

Isso não só para dar a destinação correta, como também para evitar gerar resíduos que não sejam recicláveis. Assim, veja abaixo o que pode e o que não pode ser reciclado:

1. Papel e/ou papelão

  • Reciclamos: jornais e revistas, livros, folhas de caderno, formulários de computador, caixas em geral, aparas de papel, fotocópias, envelopes, rascunhos, cartazes velhos, papel cartão, embalagens longa vida, listas telefônicas, papel de fax;
  • Não reciclamos: etiquetas adesivas, papel carbono e celofane, fita crepe, papéis sanitários, papéis metalizados, papéis parafinados, papéis plastificados, guardanapos, “bitucas” de cigarro, fotografias.

2. Produtos metalizados

  • Reciclamos: folha-de-flandres, tampinha de garrafa, latas de óleo, leite em pó e conservas, latas de refrigerante, cerveja e suco, alumínio, embalagens metálicas de congelados;
  • Não reciclamos: clips, grampos, esponjas de aço, tachinhas, pregos e canos.

3. Plástico

  • Reciclamos: canos e tubos, sacos, CDs, disquetes, embalagens de margarina e produtos de limpeza, embalagens PET: refrigerante, suco e óleo de cozinha, plásticos em geral;
  • Não reciclamos: cabos de panela, tomadas, plásticos termofixos (usados na indústria eletro-eletrônica e na produção de alguns computadores, telefones e eletrodomésticos), embalagens plásticas metalizadas (como as de salgadinhos), isopor.

4. Vidro

  • Reciclamos: recipientes em geral, garrafas e copos;
  • Não reciclamos: espelhos, vidros planos e cristais, cerâmicas e porcelanas, tubos de TVs e computadores.

5. Outros

5.1. Eletrônicos: a reciclagem desses itens é trabalhosa, uma vez que são compostos por vários tipos de materiais, incluindo itens tóxicos como mercúrio, chumbo e refrigerantes químicos. Mas se os produtos forem adequadamente desmontados, seus componentes podem ser separados para destinação ou reaproveitamento.

5.2. Pneus usados: podem ser usados para os mais diferentes fins, desde sandálias até asfalto. O importante é descartá-los corretamente, inclusive denunciando quem faz queima desses resíduos.

5.3. Óleo de cozinha: jogar o óleo usado na pia é uma péssima idéia. Ele permanece no encanamento e causa entupimentos. Sem um sistema de tratamento de esgoto, acaba em rios e represas, impermeabiliza o solo e entra em decomposição, soltando gás metano, um dos grandes vilões do efeito estufa. Por isso, devemos guardar o óleo usado em garrafas para depois dar a destinação adequada, que pode ser a solução caseira de fazer sabão (indico o artigo “Faça sabão ecológico em casa”, da querida Denise Rangel da Rede Ecoblogs). Mas se não tiver tempo para isso, procure empresas ou pessoas que trabalhem com essa reciclagem. Seu óleo usado pode se transformar até em biodiesel.

5.4. Lixo orgânico: cerca de 1/3 de todo alimento comprado vai para o lixo. Sem trocadilhos, é dinheiro que jogamos diretamente no lixo! Para mudar esse quadro, é preciso rever conceitos e adotar novos hábitos, como planejar o cardápio com antecedência, aumentar a freqüência das compras e diminuir as quantidades. Já os resíduos que são inevitáveis (cascas, talos, sementes) podem ser usados de duas formas: em receitas com aproveitamento total dos alimentos ou por meio de compostagem doméstica (para saber mais, veja o artigo “Como fazer um minhocário doméstico” aqui no Mais Com Menos). Além de reduzir a quantidade de lixo doméstico, gera-se um excelente adubo orgânico. E de graça!

5.5. Fraldas descartáveis: apesar de práticas, em torno de 17 milhões de fraldas são descartadas por dia no Brasil.  E elas levam cerca de 500 anos para se decompor! Já existem algumas iniciativas em busca de reciclar esses resíduos, mas, seguindo os 4Rs, também precisamos investir na redução. Por isso, uma opção ecológica e econômica são as fraldas de pano. É possível encontrar modelos bonitos, que imitam o formato das fraldas descartáveis, e possuem grande durabilidade. Se não podemos substituir totalmente os modelos descartáveis, usar as fraldas de pano aos finais de semana ou quando for possível já é um bom começo.

As cores da reciclagem
Certamente você já deve ter visto recipientes para separação do lixo, mas sempre surge aquela dúvida sobre a cor de cada tipo de resíduo. Assim, segue um resumo do assunto:

Cores da Reciclagem

Reciclar é bom!
Você sabia que uma tonelada de papel reciclado evita o corte de 15 a 20 árvores, economiza 50% de energia elétrica e 10 mil m3 de água? E que uma tonelada de alumínio reciclado evita a extração de 5 toneladas de minério? Além disso, 100 toneladas de aço reciclado poupam 27 kWh de energia elétrica e 5 árvores usadas como carvão no processamento de minério de ferro, assim como 100 toneladas de plástico reciclado evitam a extração de 1 tonelada de petróleo.

O reaproveitamento de materiais é bom para o meio ambiente e para a sociedade, gera empregos e cria oportunidades de negócio. E você? Já separa o lixo para reciclagem? Tem alguma boa prática para contar? Aproveite os comentários e compartilhe com a gente.

Créditos pela foto: Don’t forget to recycle! by Pylon757

Publicado originalmente no Dinheirama.

Para ler outros artigos da autora no Dinheirama clique aqui.

Mais sobre os 4Rs

4Rs – O que significa o “R” de Reduzir – dicas de como reduzir a geração de lixo

4Rs – O que significa o “R” de Reutilizar

4Rs – O último “R” é o mais importante

About The Author

Elaine Maria Costa

Elaine Maria Costa é administradora, coach e permacultora, faz compostagem doméstica desde 2009. Em 2013 mudou-se de uma área urbana para morar numa chácara em Embu das Artes – SP com o objetivo de ter maior qualidade de vida, contato com a natureza e sustentabilidade pessoal.

  • Andressa Gerente

    Sempre bom aprender um pouco mais, obrigado por compartilhar! Andressa, https://impafossasp.srv.br/

  • duda

    legal

  • Muito informativo o seu artigo. Acho que o principal problema é a conscienciacao. Na Alemanha tudo mundo recicla e sabe que é importante para nos e para o planeta. Mas aqui o pessoal ainda nao aceita esta ideia…

    Abraço,
    Julie

    • Elaine Costa

      Olá, Julie.

      Isso é ainda um problema. Outro fator que acaba dificultando a reciclagem é a falta de coleta seletiva municipal. Quem é consciente, além de separar os recicláveis também organiza uma rotina para descartá-los corretamente. Isso não é problema para quem realmente busca fazer a sua parte, mas é um empecilho para aqueles que preferem colocar a culpa de sua inação nas outras pessoas.

      Obrigada pelo comentário!

  • Pingback: Reciclagem: o que pode e o que não pode? « Gente()

  • Raul

    Estou pesquisando sobre composteiras com minhocas e adorei o site. E como tenho interesse em tudo que pode ser reciclado ví que o isopor esta na lista de não recicláveis. Esta matéria ajuda a ter mais cuidado de onde jogar fora o isopor: http://globonews.globo.com/Jornalismo/GN/0,,MUL1568586-17665-304,00.html

    Parabéns

    Raul

  • Pingback: Tweets that mention Reciclagem: o que pode e o que não pode? | Mais Com Menos: vida simples e prosperidade sustentável -- Topsy.com()